domingo, 26 de junho de 2016

Batista Missionaria comemora seus 19º aniversário

Foram dezenove anos de muita luta e muitas alegrias, disse a pastora presidente Margarida Silva, ao abrir os trabalhos no segundo dia das festividades em comemoração ao aniversário, do ministério Batista Missionaria com sede em Samambaia e com conta com varias congregações. O culto teve inicio com a equipe de louvor da própria igreja. O Pastor Roberto esposo da pastora Margarida na época era da igreja presbiteriana e  cedeu sua sala de estar para começar esta grande obra, atendendo ao chamado de Deus, “a pastora margarida relatou que teve vários assedio para que ela e pastor Roberto mudasse de ministérios,e foram varias propostas até tentadoras no campos material, porem ela permaneceu sendo fiel a Deus e ao fundador do campo pastor Adão filho” porque  temos amor as Almas e esta obra é de Deus e não dos Homens’. O preletor foi o Pastor fundador do campo que fez questão de relembrar os primórdios de inicio e citou nome de várias irmãs que estiveram deste o começo, aquelas irmãs que sempre fazem parte da coluna na igreja, alguma hoje já casada e morando em outra cidade e até estados fizeram questão de estar presente para juntos cultuar a Deus.

O pregador pastor Adão Filho fez menção em Deuteronômio: 04 v 19
E para que, ao erguerem os olhos ao céu e virem o sol, a lua e as estrelas, todos os corpos celestes, vocês não se desviem e se prostrem diante deles e prestem culto àquilo que o Senhor, o seu Deus, distribuiu a todos os povos debaixo do céu.” e tema da pregação foi quando a benção se torna maldição; Como assim pastor benção virar maldição? Sim quando você valoriza mais o que as coisas do que Deus, exemplo: O irmão da igreja é um pequeno comerciante, e o pastor começa orar por ele, dai Deus prospera a empresa cresce ao invés  dele honrar a Deus na igrejinha muda de igreja para fazer parte de um grupo social onde tem grandes empresários, outro exemplo o jovem orara para entrar na faculdade, dai passar no vestibular, dai ele  deixa de frequentar os cultos porque esta cansado e precisa estudar, em primeiro lugar vem o reino de Deus e todas  as coisas vos serão acrescentadas disse o senhor.
Jornalista Malu Silva recebe oração forte.
Nós estivemos presentes na igreja para receber um pouco das bênçãos do senhor sobre nossas vidas, relatou a jornalista Malu silva e o seu irmão presbítero Samuel Pereira, e foram tremendamente impactados pelo poder de Deus, por serem amigos de longa data da família Silva Oliveira e faziam mais de vinte anos que não encontravam o pastor Adão Filho. “Que culto cheio de poder de Deus que pregação maravilhosa o pastor desceu o chicote sem dó relatou fascinado o presbítero Samuel que estava visitando”
                                              Pastora Margarida Silva -Presidente do campo
             Pastor;Roberto ora pelo fundador do campo e preletor da noite Adão Filho
       os casais de pastores Josefa e esposo,Malu Silva e Pra,Margarida e Roberto e Adão Filho
Pastora Margarida cercada pelos seus irmãos biológicos  Arão ,Hildenê e Adão Filho

segunda-feira, 6 de junho de 2016

Curso de etiqueta ensina regras de comportamento social e empresarial

No próximo dia 18 de junho, o curso de etiqueta Pethy Mattos realiza quatro módulos na área de comportamento social e empresarial. Além do aprendizado, o aluno estará contribuindo para a viagem da cantora mirim sobradinhense Nicole Luz,que participará do concurso internacional IPOP, que teve a prorrogação de prazo da inscrição, e conta com a ajuda. De acordo com Pethy Mattos, 20% do valor arrecadado será para Nicole. "Para colaborar , basta avisar no ato da inscrição que quer ajudar para Nicole ir a Los Angeles" , reforça Pethy.
> No total, são 10 horas de aula com direito a refeições, coquetel, certificado e apostilas.
> Os módulos incluem regras de comportamento internacional , trabalho em equipe, trajes apropriados para cada ocasião, e até mesmo a postura na Internet com a Web Etiqueta.
> O início das atividades será às 8h e o conteúdo programático inclui automaquiagem, origem da etiqueta para convivência social, convidadando e sendo convidado para eventos e postura. No segundo módulo, os temas são referentes à apresentação pessoal e comunicação, após o petit four, aulas sobre cumprimentos, viagens, como se comportar em eventos e confraternizações no Brasil, embaixadas e países estrageiros, e regras de comportamento internacional.Na terceira etapa, trajes e etiqueta à mesa. E no último, tudo sobre etiqueta empresarial.

> Serviço:
> Curso de Etiqueta Pethy Mattos
> Data: 18 de junho 
> Horário: de 8h às 16h
> Reservas e mais informações: (61)8164-4733
> Érica Ianuck Léda
> Assessora de Comunicação/ Social Media

Projeto prevê mais segurança nos sistemas de energia elétrica

 O deputado federal Sóstenes Cavalcante (DEM-RJ) apresentou na Câmara dos Deputados, projeto de lei n° 5310/2016, que obriga a utilização de condutores protegidos ou isolados nas redes de distribuição aéreas de média e baixa tensão situadas nas áreas urbanas.
De acordo com o PL, as concessionárias e permissionárias do serviço público de distribuição de energia elétrica deverão providenciar a substituição de todos os condutores de energia sem revestimento por condutores protegidos ou isolados nas redes de distribuição aéreas de média e baixa tensão situadas nas áreas urbanas, tudo isto, num prazo de até cinco anos após a publicação da lei, em conformidade com metas anuais definidas na regulamentação.
“Acreditamos que já é tempo de adotarmos nas cidades brasileiras apenas redes de distribuição de energia elétrica protegidas ou isoladas, eliminando os sistemas que utilizam condutores nus, isto é, sem nenhum revestimento, que compõem as chamadas redes aéreas convencionais. Essa medida aumentará a segurança da população, melhorará a qualidade da energia fornecida, propiciará vantagens ambientais e também trará benefícios para as distribuidoras”, justificou Sóstenes.
Fonte: Jaqueline Mendes

domingo, 5 de junho de 2016

O que a biblia diz sobre estupro ?

“Vejam, o dia do Senhor virá, quando no meio de vocês os seus bens serão divididos. Reunirei todos os povos para lutarem contra Jerusalém; a cidade será conquistada, as casas saqueadas e as mulheres violentadas. Metade da população será levada para o exílio, mas o restante do povo não será tirado da cidade. Depois o Senhor sairá para a guerra contra aquelas nações, como ele faz em dia de batalha”. (Zacarias 14:1-3)
O caso abominável de 33 homens estuprarem uma adolescente de 16 anos no Rio de Janeiro provocou muita indignação na nossa sociedade. Muitas frases foram vistas nas redes sociais: “A culpa é dos homens!”; “Isso é causado por uma sociedade patriarcal e conservadora!”; “Esses homens não são doentes, eles se sentem no direito de estuprar mulheres”; “É a cultura do estupro”. Acontece que nada disso cabe na situação!
A Bíblia fala da violência sexual contra as mulheres. Várias vezes o estupro é mencionado. Se pesquisarmos a palavra “estupro” não a encontraremos, porém, a violência sexual é mencionada em outros textos além de Zacarias 14 (Deuteronômio 22; Juízes 19; 2 Samuel 13). Embora os preceitos bíblicos não têm a clarividência presente na nossa cultura moderna, embrionariamente são fundamentos para a aplicação atual. O texto citado dá a ideia de que a violência contra a mulher é algo vergonhoso. Nele a violência pode ser vista como um castigo por parte de Deus pelo mal comportamento do povo. O povo de Israel havia deixado de lado os preceitos de Deus expressos na sua Palavra, por isso Zacarias profetizou o castigo. Pode parecer que as mulheres eram abusadas com o consenso de Deus, porém, isso não tem procedência em nenhum texto bíblico, porque logo a seguir no verso 3 o Senhor promete combater contra quem pratica esse mal.
Cabe a nós refletirmos se a nossa sociedade não tem sido tolerante com a violência contra a mulher. Não conheço um só homem ou mulher que considere qualquer caso de violência sexual como algo natural, desejável ou benigno. Na cultura islâmica pode ser que as mulheres que andam sozinhas na rua ou sem cobrir o corpo sejam consideradas “disponíveis” e “pedindo” por assédio. Mas essa não deve ser a realidade no Ocidente.
Por outro lado, não se pode socializar a culpa dos que praticam tal ato, pois a Palavra de Deus é clara que cada pessoa individualmente é responsável pelos pecados que praticam. “...cada um de nós prestará contas de si mesmo a Deus” (Romanos 14:12). É preciso entender que os monstros que praticam tal absurdo não foram criados pela sociedade, mas pela impunidade e falta de rigor das leis.
É importante ainda ressaltar que, falar em “cultura do estupro” no ocidente é o mesmo que promover a banalização do estupro. A partir do momento em que se equaliza uma cantada tosca e grosseira à barbaridade da violência sexual, está se tripudiando da dor das verdadeiras vítimas e questionando a gravidade do terror ao qual estas foram submetidas. Não são apenas as mulheres que temem andar sozinhas nas ruas tarde da noite ou em qualquer horário em locais de pouco movimento. Homens também temem e muito por sua segurança.
Portanto, é a maldade que se encontra dentro do coração dos homens que os levam a cometerem loucuras. Além do mais, Deus os entregou a uma disposição mental reprovável, para praticarem o que não deviam, exatamente por se afastarem dos ensinamentos bíblicos. “Tornaram-se cheios de toda sorte de injustiça, maldade, ganância e depravação. Estão cheios de inveja, homicídio, rivalidades, engano e malícia.” (Romanos 1:28-29)
Não tenho dúvida. A solução para o mal é voltarmos para Deus. “Se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar e orar, buscar a minha face e se afastar dos seus maus caminhos, dos céus o ouvirei, perdoarei o seu pecado e curarei a sua terra”. (2 Crônicas 7:14) 
Fonte: www.elbemcesar.com