segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

AVEC realiza evangelização no sistema prisional e recupera autoestima de detentos

Desde 2008, a Associação Vitória em Cristo realiza estudos bíblicos dentro dos presídios do Rio de Janeiro com o objetivo de alcançar vidas por meio da evangelização carcerária. Eduardo da Silva, que se envolveu com o mundo do crime pela primeira vez aos 9 anos e foi condenado pela prática, é um dos frutos desse trabalho. Ele se interessou em aprender sobre a Palavra de Deus, por entender que era uma oportunidade de começar uma nova história. 
Eduardo passou a frequentar assiduamente o grupo de estudos e, aos poucos, destacou-se pelo interesse e capacidade de aprendizagem. Logo, tornou-se auxiliar dos voluntários e, com o passar do tempo, recebeu a oportunidade de pregar o evangelho para os seus colegas de prisão. “Os voluntários me ajudaram a entender melhor a Palavra de Deus. A Avec envia apostilas e livros de estudos para o trabalho, o que é essencial para quem não tem contato com o mundo externo”, lembra. 
Após dois anos de voluntariado na prisão, Eduardo foi consagrado obreiro, diácono e, posteriormente, evangelista. Ele recorda que, dentro da carceragem, quem é cristão, precisa ler muito a Bíblia e mostrar que realmente mudou de vida: “Na prisão, o evangelho é levado muito a sério. Para seguir no ministério, é preciso ler muito, acordar na madrugada e orar uns pelos outros. Quem deseja participar das reuniões semanais precisa assumir responsabilidades”. 
Vitória na prova
Os anos de dedicação e o conhecimento da Bíblia credenciaram o jovem a lecionar na Escola Bíblica. Eduardo foi transferido algumas vezes de presídio, porém, em todas as unidades, assumiu a responsabilidade pelas aulas e ministrações da Palavra, graças ao respeito e a confiança que conquistou junto à direção dos presídios e aos detentos. “O mais impressionante é que eu entrava em todos os lugares e falava de Jesus para pessoas que não conheciam a Palavra ou que estavam afastadas. Algumas, inclusive, consideradas de alta periculosidade. Eles confiavam no meu trabalho. Deus me deu essa missão”, conta com alegria. 
Por meio da evangelização, Eduardo conseguiu impedir que diversos condenados fossem mortos pelas facções rivais dentro do presídio. Por seu bom relacionamento, ele era respeitado por todos. O trabalho desenvolvido junto aos detentos conta com o reconhecimento, inclusive da direção das penitenciárias, pois a conversão dos presos gera mudança de comportamento. 
Uma nova chance
Em 2014, a advogada Ana Cristina, que realiza atendimento jurídico pela Avec, informou a Eduardo que ele tinha direito ao induto coletivo com liberdade assistida, e entrou na justiça para solicitar ao juiz a revisão de pena do jovem. Para conseguir a liberação, Eduardo deveria apresentar residência fixa com comprovação em seu nome. Fátima Maria de Jesus, uma das voluntárias do projeto social que assiste os presos, acompanhou o processo de mudança de vida do jovem e ofereceu seu endereço para que ele pudesse comprovar residência junto à Justiça. “Trabalho há três anos nessa obra e observei a conduta dele desde o início. Assim que soube que ele sairia e não teria para onde ir, fiquei muito comovida, pois tenho um filho da mesma idade e não conseguia imaginá-lo passando o dia inteiro nas ruas”, lembra Fátima emocionada. 
Na maioria das vezes, os familiares abandonam os presos por não acreditarem em sua recuperação. Fátima e sua família, no entanto, optaram por fazer a diferença na vida de Eduardo, dando a ele a oportunidade de recomeçar: “Há pessoas que se afastam da fé, após saírem da prisão, devido à falta de oportunidade. Os próprios parentes não acreditam na recuperação do preso, pensam que será algo momentâneo e acabam fechando as portas. Eu e toda a minha família acreditamos nele desde o início e o recebemos com todo carinho, oferecendo também o auxílio que precisava”, diz Fátima. 
Ela recorda a amizade de Eduardo com seus filhos e a dedicação aos estudos, mesmo fora da prisão: “Em pouco tempo, ele ficou amigo dos meus filhos, como irmãos. Começaram a trabalhar juntos. Eduardo é um rapaz responsável, oramos juntos, conversamos sobre tudo. Ele é uma bênção em nossa família. Fomos presenteados com a vinda dele para o nosso lar, e vê-lo conquistar tudo o que tem conquistado é uma alegria muito grande”, testemunha.
Após obter o induto coletivo e sair da prisão com a pena perdoada, Eduardo conseguiu emprego e se prepara para uma viagem à Europa para trabalhar na construção civil. Além de ser um estudioso da Bíblia, Eduardo também cursou Teologia. Hoje, como pastor, ministra a Palavra em diversas igrejas e conta o seu testemunho a fim de influenciar e motivar milhares de pessoas em todo o país a crerem que Jesus é o único que transforma vidas. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário