quarta-feira, 25 de novembro de 2015

Quando o orgulho mata o Amor...

Depois de uma briga muito feia.
Roger se vai deitar muito nervoso. Sónia o segue. Os dois deitam se na cama virados de costas.
Por volta das 3 horas da manhã Roger passa mal devido a uma baixa de pressão e morre. Sónia sente os gemidos do marido e de tão chateada simplesmente o ignora pensando que era algo normal.
Pela manhã ela levanta, faz a mesa e deixa o pequeno-almoço do marido na mesa. Preparou-se lindamente e sai para trabalhar.
Voltando para casa, já por volta das 18 horas ela se apercebe assim que abre a porta que o pequeno-almoço ainda estava na mesa tal como ela deixou, então pensou que o marido ainda estava chateado e ñ pegou na comida.
Dirigiu-se para o quarto para poder se trocar...
Para o seu espanto lá estava o marido deitado e coberto tal como deixou... E de repente desceu sobre ela uma sensação de dor. E mesmo antes dela tocar o medo caio sobre o seu peito e desceu uma lágrima. E quando ela vai pegar no seu amado, e descobre que o seu corpo já estava imóvel... Ele estava morto com um dos braços no peito junto ao coração e o outro junto ao lado onde dorme a sua mulher...
Dizia a minha amada mãe. A briga da sala não tem nada a haver com o quarto. Não podemos viver carregando mágoas.
Mágoas são lixos emocionais, lugar de lixo é no lixo...
Que farias tu numa situação desta?..
Para reflectir...

Fonte:"José Gomes" 

Nenhum comentário:

Postar um comentário